PALESTRANTE EM INGLES

É curioso como ainda temos poucos eventos com palestras em inglês no Brasil. Até mesmo na cidade de São Paulo, com grande volume de empresas e negócios  multinacionais, acho pouco.

Lembro do começo da minha consultoria em negócios internacionais, que na década de 1990 recebia as missões comerciais britânicas para apresentá-los ao mercado e às regras de negócios do nosso país. Um dia de trabalho com workshops e palestras. Ok, não sou tão novo assim…

Missões comerciais da indústria farmacêutica, automotiva, de alimentos e bebidas entre outras eram recepcionadas pela minha empresa e apresentávamos, em inglês, a estrutura do mercado local, a legislação, impostos, certificados e autorizações necessárias, além de acompanha-los em visitas técnicas. Só não conseguia explicar como se calcula o ICMS, tarefa ingrata para executivos oriundos de países com legislação simples e objetiva.

Depois comecei a receber alunos dos MBAs internacionais, como dos EUA, Canadá e Ucrânia. Sempre interessados em fazer negócios no Brasil. Aula de negócios Doing Business in Brazil.

Por fim, saindo para palestrar em inglês em eventos na América Latina, como Argentina e Chile, apresentando a metodologia que desenvolvi para a modelagem de negócios ou contando o cases da criação da categoria de cerveja gourmet no Brasil, que tive a honra de participar ativamente. Só não me pergunte porque o idioma era o inglês e não o espanhol. Não saberia responder.

De tudo, trago ótimas lembranças do engajamento e do interesse dos participantes, a vontade de fazer seus negócios cruzarem as fronteiras e gerar novos projetos, conquistando mercados e clientes.

PALESTRA EMPREENDEDORISMO SEBRAE

Este ano mais uma vez tive o prazer de participar da Feira do Empreendedor SEBRAE.

Conduzido duas mesas redondas, levando a visão das grandes empresas para o empresário de pequeno porte, para que pudesse entender como as empresas podem ser úteis ao empresário PME.

Na primeira, trouxe Facebook e STONE, que mostraram as oportunidades para empreendedores antenados. Novas formas de divulgar seu produto e de receber seus pagamentos.

Já a segunda teve AON, Decolar.com e Oxygen, todas empresas tecnológicas, que compartilharam cases de projetos com PMEs.

Ainda na mesma feira, fiz uma palestra com o tema Compartilhando Cicatrizes, onde contei diversos casos de falhas que serviram de escada para o sucesso dos empresários, alguns deles meus clientes ou mentorados.

A feira do SEBRAE é estruturada de forma e permitir que o empreendedor tenha contato direto com fornecedores, professores, palestrantes, clientes e até seus concorrentes. Apesar do brasileiro ainda encara o concorrente como adversário, ele pode ser um parceiro muito estratégico na hora de definir o seu mercado.

Muitos empreendedores herdam o negócio e por isso nem sempre estão preparados pra tocar em frente. Iniciativas como essa são de extrema importância para a sobrevivência desses empresários e me sinto honrado em poder continuamente, a cada ano, participar das feiras do SEBRAE e ajudar com a emissão, a essas empresas e esses empresários.

PALESTRA DE EMPREENDEDORISMO PARA JOVENS

 Um dos grandes desafios da atualidade é colocar o jovem no caminho do trabalho.  Já temos uma diminuição enormes na oferta de empregos e, positivamente, o crescimento no número de jovens empreendendo.

Empreende-se cada vez mais cedo: alguns deles o fazem de forma estruturada, tentando resolver um problema da sua comunidade, criando o plano de negócios, estruturando um canvas e fazendo sua startup planejada. Outros fazem de maneira empírica, por tentativa e erro, sem muito planejamento mas como paixão.

Entre os casos necessário destacar a mudança de atitude desta nova geração. Se temos de um lado jovens Imediatistas com pouco iniciativa mas com grande possibilidade de engajamento, de outro lado encontramos jovens preparados, ambiciosos na medida, engajados e com foco claro nos seus objetivos.

Claro que temos diferenças na formação de cada jovem, no seu ambiente de origem, na sua forma de entender o mundo e seu anseio de transformar. É isso que busco entender e compartilhar nas minhas palestras para os jovens empreendedores.

O pulo do gato está na curta distância entre entender a necessidade, desenhar e testar a solução, errar e aprender para então, crescer de forma consistente.

Está nesta etapa? Não tenha medo da cicatriz. Dê o passo.

E conte comigo.

DIFERENÇA ENTRE MENTORIA E COACHING

Sempre após as minhas palestras, em São Paulo ou em qualquer lugar do Brasil, invariavelmente sou procurado por pessoas que pedem a minha orientação. Querem me contratar para ouvir e ajudar a resolver o que entendem ser um problema, pessoal ou profissional. Entretanto, a grande maioria não sabe de fato o que precisa, então todos me perguntam se faço coaching.

Afinal, o que é coaching? E qual a diferença entre mentoria e coaching?

Entendo que são coisas diferentes, para situações diferentes.

O coaching é uma ferramenta muito utilizada quando você precisa de ajuda para refletir sobre o seu caminho. O coach é a figura que vai ajudá-lo a organizar o pensamento para que você possa decidir melhor, te provocar reflexões. Mas jamais vai sugerir algo ou decidirá por você.

Já a mentoria é um processo diferente. Você busca alguém com mais experiência que você , que já tenha passado por uma situação similar para que possa conversar com ela sobre os possíveis caminhos e ela lhe ajudar, contribuído com a decisão.

Brinco com os meus amigos dizendo que eu não tenho equilíbrio emocional para ser coach. Quero logo me meter, conversar com a pessoa, mostrar os caminhos, dar a minha opinião e ouvir a dela. É claro que a palavra final é sempre do mentorado, mas é importante entender aquele cara ali como um parceiro para a troca de experiências, de percepções, de visão de mundo e de negócios.

Cada uma das duas opções é realizada por profissionais de formações distintas, usam métodos diferentes e buscam resultados diferentes. É importante entender para escolher o que de fato você precisa.